Resenha: Adeus,Promessas - Plataforma 21


Adeus, Promessas foi um dos lançamentos de 2016 da Plataforma 21 e eu tenho que dizer que é um livro que deveria estar em todas as escolas do nosso país. Debater sobre a cultura do estupro é necessário, é essencial. Ler sobre essa história escrita pela Kristin Halbrook é como acompanhar de perto os casos que vemos na televisão, de meninas que foram abusadas, violentadas  e invadidas.



É esse tipo especial de fé que as mães têm que torna a vida suportável."

Kayla, Jen, Selena e Bean são melhores amigas e estão no último ano do ensino médio em uma daquelas cidades pequenas, onde todo mundo se conhece. Durante uma festa, algo terrível acontece com a Bean, Kayla presencia e depois disso se envolve em um acidente onde uma pessoa morre.

Depois desse episódio, Kayla sai da cidade e passa um tempo com sua tia, quando volta é obrigada a conviver com antigas amizades, pessoas a julgando e culpando pela morte, ameaças pelo o que ela viu, mas o pior de tudo é a culpa. A culpa pelo silêncio. O preço que ela paga pela omissão, Kayla finge que não se lembra de nada antes do acidente, mas no fundo, Bean sabe que ela sabe.



Quando você lê a sinopse do livro, você já sabe que vai se tratar de um caso de estupro. Mas o que não esperamos é como isso acontece, quem são as pessoas envolvidas.

O livro te deixa na dúvida, te leva pela ansiedade em saber o que aconteceu. Os capítulos são alternado entre Primavera (com os acontecimentos no passado) e Outono (os acontecimento são no presente, quando a Kayla volta pra cidade) e em cada capítulo mais um pedaço dessa história vai se entrelaçando e vamos aos poucos entendendo o ambiente no qual essas garotas estavam inseridas.


Ela não deveria ter bebido. Não deveria ter ido embora sozinha. Não deveria ter dado em cima dele. Não deveria ter usado aquela saia." 

Podemos ver de perto o machismo enraizado nas famílias, na sociedade e como resultado disso temos a dúvida da Kayla, ficar em silêncio e recuperar a antiga vida? Ou contar tudo o que viu?

O auge desse livro é o momento que toda a história é revelada, não só pro leitor mas para os personagens, é nesse momento que vemos a face mais cruel dessa sociedade machista. Sim. MACHISTA. Onde a vítima é culpada, discriminada e desacreditada.


Você provavelmente já ouviu, viveu ou presenciou algum abuso contra a mulher, seja na rua, no ônibus, na família, na escola. Precisamos debater sobre isso, informar e apoiar, o apoio é essencial nesses casos.

Se você está lendo esse texto e já sofreu algum tipo de violência/abuso, saiba que não está sozinha. Você pode não ter o apoio das pessoas próximas a você, mas tenha certeza que eu e outras centenas de mulheres te apoiamos e vamos gritar por você, quantas vezes forem necessárias.

Aqui no Brasil, você pode ligar para a Central de Atendimento a Mulher no número 180, que assumiu a atribuição de disque denúncia e passou a acumular as funções de acolhimento e orientação da mulher em situação de violência, com a tarefa de enviar as denúncias de violência aos órgãos competentes pela investigação (com a autorização das usuárias). 

É difícil, é assustador, mas não fique calada, não fique sozinha, não se envergonhe de nada. 
VOCÊ É A VÍTIMA. Nada disso é culpa sua. Denuncie.

Nunca se esqueça de que um estupro não é uma relação sexual. É um crime de abuso de poder e um ataque violento.

Eu irei fazer um post com alguns dados da violência, formas de ajudar e livros que tratam desse tema.

Porque lar não é um penhasco que tem uma vista de perder o fôlego nem cheiro de açúcar e canela no ar nem o barulho que os cascos de cavalo fazem quando batem na terra seca.Lar é onde você pode viver em paz consigo mesmo."


Livro cedido em parceria com a editora e ela está ciente que só falamos opiniões sinceras e não somos influenciados só porque recebemos o livro. Seja bom ou ruim, nosso compromisso é com você leitor, que merece saber a verdade sobre o que sentimos lendo.

5 comentários

  1. que linda a sua resenha miga, adorei esse livro embora seja um tema bem dificil, achei mt massa!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. bem difícil, mas que é preciso ser debatido! E esse livro é ótimo pra isso.

      Excluir
  2. Que resenha incrível!
    Nossa, esse parece ser um daqueles livros "necessários"... Que a gente lê com um nó na garganta, né...
    Poxa, vou procurar pra ler também...

    É muito triste como a cultura do estrupro é tão disseminada na sociedade e é chocante o quanto é cosiderada "normal" :'(

    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente, é um daqueles livros que a gente tem vontade de sair por aí dando pra todo mundo ler, inclusive deveria ser inseridos nas escolas.
      O pior de tudo é isso, essa normalidade.

      Excluir
  3. Migs, ouvi muito a respeito desse livro. Mas não fazia a menor ideia que ele abordava um tema tão forte como esse. É realmente, as vezes eu fico muito triste pelas escolas que não passam esse tipo de conteúdo nos livros.. Seria tão importante. Fiquei com uma 'baita' vontade ler.

    ResponderExcluir