4 coisas que você talvez não tenha percebido em A Guerra que Salvou a Minha Vida


A Guerra que Salvou a Minha Vida foi um dos últimos lançamento da Editora Darkside Books pelo selo Darklove, caso você não conheça, é um selo exclusivo para mulheres escritoras.

Ambientado durante a Segunda Guerra Mundial, quando Hitler estava tentando invadir Londres, na Inglaterra com o exército alemão, conhecemos a pequena Ada, uma garotinha de 10 anos de idade que nunca saiu de casa. Isso mesmo, a Ada era prisioneira da sua própria "mãe" que tinha vergonha da deficiência física da filha: o pé direito era torto.


"O Jamie está lá fora", falei.
"E por que não estaria?", disse a Mãe. "Ele não é aleijado. Não é que nem você."

Ada tem um irmão mais novo, Jamie de apenas 6 anos e o qual ela amava e cuidava mais que tudo. A Mãe, gostava apenas do Jamie. O Jamie podia fazer tudo. Ir pra escola e brincar na rua. A Ada, apenas via tudo pela janela de sua casa.


"Eu podia ter descido as escadas, mesmo naquela época. Podia ter rastejado ou me apoiado de bunda. Não era uma imprestável. Mas, na única vez em que tentei sair, a Mãe descobriu e me espancou até fazer meus ombros sangrarem."

Com a aproximação da invasão alemã todas as crianças foram enviadas para outras famílias no interior da Inglaterra cuidarem. Foi a oportunidade de liberdade da Ada. Enquanto a Mãe dormia, ela e o irmão fugiram para a escola que estava levando as crianças e foram juntos. A Ada, saiu pela primeira vez de casa, se arrastando literalmente para fugir da sua própria casa.




"Minha casa era uma prisão. Eu mal suportava o calor, o silêncio e o vazio."

Chegando no local, as famílias escolhiam quais crianças levariam para suas casas. Aos poucos, sobraram apenas Ada e Jamie. Ninguém quis eles. Eram crianças desnutridas, sujas e mal vestidas.


"Estávamos livres. Da Mãe, das bombas do Hitler, da minha prisão no apartamento. De tudo. Doidice ou não, eu estava livre."

Então, a responsável pelos "evacuados" levou os dois para a Susan Smith, uma mulher solteira, que não queria ter filhos e que vivia do que sua amiga havia deixado para ela. Ela não queria eles. Ela não queria crianças. Ela mal conseguia cuidar de si mesma.

Ada e Jamie descobriram um mundo novo, hábitos novos, uma vida nova. Ada se apaixonou por um pônei e sonhava com o dia em que iria cavalgá-lo e saltar muros. Jamie descobriu que também tinha suas limitações e aprendeu mais rapidamente a amar.

Ao longo dos capítulos aprendemos que a Ada tem medo de se permitir entregar a sentimentos bons, a coisas boas, ela tem medo de se machucar. Ela tem medo que a mãe volte pra buscar ela e o irmão, ela tem medo que a guerra acabe e ela volte a vida antiga.



"Eu sabia que não poderia ficar. Eu tinha tanta coisa boa - não vivia trancafiada, num quarto, pra começar. Depois havia o Manteiga, as muletas, a casa quentinha mesmo com frio lá fora. Roupas limpas. Banhos à noite. Três refeições por dia."

No final do livro eu percebi que existem temas fortes, polêmicos e que vem surgindo nas últimas semanas, não sou psicóloga, não tenho formação adequada, mas consegui detectar 4 coisas importantes que o livro traz de uma forma discreta:

1. VIOLÊNCIA INFANTIL
A Mãe da Ada e do Jamie é extremamente abusiva, e ta aí um tema difícil de ser abordado. Até onde vai o limite de um pai e uma mãe? Até onde outra pessoa pode interferir?
Os maus tratos sofridos pela Ada, são claramente  passíveis de denúncia. São crimes. A garota era espancada até sangrar. E os dois filhos sofriam negligência física que é "caracterizada por atos de abandono da criança, privando-a de alimentos, vestuário e cuidados com a saúde."

O Brasil é considerado o país com as maiores estimativas de maus-tratos contra crianças no mundo. Conforme uma pesquisa vinculada a OMS (clique aqui). Foram pesquisados dados de abuso sexual, físico e emocional e negligência física e emocional publicados em cerca de 30 países. Ou seja, apesar de se tratar de um livro ambientado em outra época, em outro país, ainda temos em nossa sociedade os mesmos problemas.

2. ABUSO PSICOLÓGICO
A Ada sofre constante abuso psicológico, que de certa forma se enquadra no ponto 1 (violência infantil) mas preferir separar, porque acredito que grande parte do que a Ada é, é devido as agressões verbais que ela sofria da mãe.

Uma criança de 10 anos que cresceu ouvindo que era uma incapaz, imprestável e um peso para sua própria mãe, acaba levando pra sua vida toda traumas e lembranças desse abuso. Muitos pessoas pensam que violência e abuso é só físico, mas palavras e gestos são muito mais fortes.


"Você é tão dura... parece que estou confortando um pedaço de pau."

3. ATAQUES DE PÂNICO
No livro não lemos essa palavra, mas a Ada tem surtos de medo, gritos e pavor sempre que se depara com alguma coisa que remete ao que ela sofreu enquanto estava com a mãe. São características que mesmo não sendo psicóloga, pelo o que lemos, somos capazes de identificar.

Uma das cenas mais intensas é quando ela precisa entrar em um porão pela primeira vez para fugir das bombas lançadas na cidade. O cheiro e as lembranças de frio e escuridão fazem com ela tenha um ataque de pânico e precise ser amparada pela Srta. Smith.


"Foi horrível, mas eu não desisti. Eu persisti. E venci a batalha."

4. DEPRESSÃO
O que não comentei, é como é a vida da Srta. Smith antes das crianças chegarem em sua casa, parte do passado dela é um mistério que vai sendo revelado aos poucos. Ela teve uma perda muito grande na vida e sofreu com algumas pessoas. Essas perdas fazem dela uma mulher triste, sem disposição, jogada ao sofrimento. Eu arrisco dizer que talvez ela tenha um início de depressão, pelas vezes em que ela abandona a si mesma e não consegue sair de um universo de lembranças.

Esse não é um livro sobre a Segunda Guerra Mundial, não é um livro sobre as atrocidades de Hitler, não é um livro sobre a história do mundo. É um livro sobre uma criança que viveu a vida limitada, maltratada, violentada e abusada pela própria mãe. É um livro sobre esperança, mas principalmente sobre força, sobre determinação.

A Ada passou por coisas que fica difícil imaginar, passou por dores que partem o nosso coração, mas ela é uma menina tão forte, tão forte que nos dá esperança pra viver e enfrentar as batalhas da vida.
A Ada não venceu apenas a guerra contra Hitler, ela venceu a maior guerra de todas, a da nossa própria vida.



"Enfim compreendi qual era a minha luta e por que eu guerreava. A Mãe não fazia ideia da forte combatente que eu havia me tornado."

Confira a resenha da Débora do La Oliphant que está fazendo um sorteio em parceria com a gente, vocês terão 2 chances de ganhar esse livro lindo <3 clique AQUI


a Rafflecopter giveaway


1. A promoção é válida ATÉ 08/05, tendo seus ganhadores anunciados na fanpage dos blogs;
2. Este sorteio é realizado através da plataforma Rafflecopter;
3. Em "Visit on Faceboo" é necessário curtir a página;
4. Para validar o prêmio o ganhador devera cumprir com todas as obrigatorias do Rafflecopter;
5. Ao fim da promoção será sorteado apenas 02 ganhadores para todos os prêmios cedidos neste sorteio;
6. A promoção é válida somente para quem tem endereço de entrega no Brasil;
7. O ganhador terá o prazo de 03 dias para responder ao e-mail que lhe será enviado. Caso não o faça, um novo ganhador será definido;
8. O envio do livro será feito pela Editora Darkside Books no prazo de 50 dias após o ganhador informar seu endereço; 
9. O blog e a Editora não se responsabilizam por extravio ou atraso na entrega dos Correios. Assim como não se responsabilizam por entrega não efetuada por motivos de endereço incorreto, fornecido pelo próprio ganhador;

Livro cedido em parceria com a editora e ela está ciente que só falamos opiniões sinceras e não somos influenciados só porque recebemos o livro. 
Seja bom ou ruim, nosso compromisso é com você leitor, que merece saber a verdade sobre o que sentimos lendo.

23 comentários

  1. Que história triste, o quanto essa pequena Ada deve ter sofrido, o preconceito dentro da sua própria casa........

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É horrível, a coisa mais difícil do livro é vermos uma criança sofrer por ser quem ela é.

      Excluir
  2. Uma história ao mesmo tempo linda e triste. Esses pontos são muito interessantes, vou prestar atenção quando ler o livro!! A edição é maravilhosa, assim como as fotos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada *-* espero que seja uma leitura maravilhosa pra você, assim como foi pra mim <3

      Excluir
  3. O que falar desse post incrível???
    Miga, e essas fotos? AMO SEMPRE!
    Eu tava curiosa desde que a Darkside anunciou o lançamento, o desejo de ter e ler esse livro só aumentou. Sei que precisarei de uma caixa imensa de lenços, muito choro virá. tenso mesmo. Mas quero muito conhecer de pertinho. S2

    Danni
    Garotas e Livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. AI AMIGA OBRIGADA <3 sua opinião maravilhosa é muito importante. Eu nem chorei, mas acho que vc vai sim kkkk

      Excluir
  4. Oie!
    Não conhecia o livro, e não tenho tanta certeza, mas tenho convicção de que levei spoiler kkkk mas tudo bem.
    A vontade de ler o livro continua grande
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Thai, acho que você não leu a resenha toda, mas não tem spoiler nenhum não tá? pode ficar tranquila haha

      Excluir
  5. Olá, estava em duvida sobre esse livro, um tanto doloroso, mass gostei dos pontos destacados e da forma que comentou, quero muito agora, ainda mais sendo da darkside. Abraços e sucesso querida! <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Awn valeu, espero que goste da leitura!

      Excluir
  6. Estou louca para ler este livro, ainda mais pelos temas abordados. Não dá nem para imaginar o sofrimento destas crianças, é revoltante quando as pessoas que justamente estão para defende-las e protege-las são justamente as que mais maltratam.
    Bjs Rose

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é mulher, é revoltante a mãe da Ada, sério. Não dá nem pra adjetivar essa mulher.

      Excluir
  7. Olá, tudo bem?
    Eu ainda nao li esse livro, mas menina fiquei emocionada só com as suas observações. Me parece uma história bem triste, apesar de ser uma obra muito bela. Ainda estou pensando se realizarei a leitura, talvez meu emocional não esteja tão bom assim.
    Parabéns pelo post
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahhh que linda *-* obrigada, que bom que minhas palavras tocaram você. Olha, como eu disse, emociona sim, então talvez melhor ler quando você tiver numa vibe melhor.

      Excluir
  8. Eu nem li o livro ainda e já me sinto destruída por ele, socorro. Tu já leu Feia? É um livro baseado em fatos reais sobre a vida de uma menininha que era maltratada por todos, mas principalmente pela mãe, que não perdia uma oportunidade de mostrar como ela era feia, sem contar todos os abusos físicos. Não tem Segunda Guerra Mundial, mas com certeza os dois livros são MUITO parecidos, recomendo a leitura.

    Gostei muito do post e já tô participando do sorteio <3

    Beijos ♡
    misinwonderland.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mulher não conheço esse livro O.O #partiu procurar sobre ele agorinha mesmo, valeu pela indicação <3

      Excluir
  9. Olá!
    Essa é a primeira resenha que leio sobre a obra, se eu já me interessava antes, agora, após lê-la, mais ainda.
    Imaginei que fosse uma boa história, mas não fazia ideia dos temas abordados, o que me deixou ainda mais curiosa para ler.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  10. Olá! Primeiro, parabéns pela resenha, ficou linda! Nossa, eu não sabia que a história era tão forte e triste assim, fiquei com tanta dó da garotinha. A edição está linda, beijos!

    ResponderExcluir
  11. Oi Yara quero muito ler esse livro, eu comprei para uma amiga secreta de páscoa e não comprei para mim...Vamos ver se tenho sorte em ganhar um exemplar!Bjs

    ResponderExcluir
  12. Olá, menina, tou doida pra ler esse livro. E achei muito bacana vc trazer essa postagem, pois muitos talvez leiam sem refletir sobre isso. E vc mostra que não é apenas uma história que se passa durante a 2 guerra. Vou participar desse sorteio, é claro! Bjs

    ResponderExcluir
  13. Olá, tudo bem?
    Eu ainda não adquiri a obra, mas vou ver se acho essa semana nas livrarias da minha cidade.
    Adorei o seu post, mas confesso que fiquei com medo de pegar spoiler por não saber exatamente nada sobre a obra.
    Adorei a ideia do sorteio, pena que não uso o twitter, senão eu participaria com toda a certeza.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  14. Que livro fantástico!!! Já está na minha "book wishlist". E é claro que estou participando da promoção!!! <3 <3 <3 <3

    ResponderExcluir
  15. Olá, quero muito conferir essa obra. Li diversas resenhas e estou cada vez mais encantada com a temática.

    Abraços

    ResponderExcluir