O lado real da maternidade em O Casal que Mora ao Lado


O Casal que Mora ao Lado é um dos últimos lançamento da Editora Record e nele conhecemos a história da Anne e do Marco, um jovem casal que acabou de ter uma filha e que decide jantar na casa ao lado, enquanto a criança dorme em casa.


"Quem vai jantar na casa dos vizinho se deixa a filha sozinha em casa? Que tipo de mãe faz uma coisa dessas?"

Você como eu, se pergunta: QUE!!!??? Quando eu li a sinopse do livro eu fiquei tentando imaginar que tipo de pais deixam um bebê de alguns meses sozinho em casa. Você até tenta justificar dizendo que eles estavam na casa do vizinho e iam verificar a criança a cada meia hora, MAS GENTE PELO AMOR DE DEUS.


Só podia dar o que? MERDA. Quando os pais resolvem voltar pra casa, lá pela uma hora da madrugada, a porta da casa está aberta e o bebê SUMIU. Mas bebês não andam, então eles não somem. A pequena Cora foi levada e aí é o caos durante todo o livro.

Toda a história é voltada pra descobrir quem levou a criança e o motivo disso, a polícia inicialmente trabalha com hipóteses onde os pais são os responsáveis pelo crime, afinal, não há indícios de uma terceira pessoa dentro da residência.


É um suspense que realmente tira o fôlego e você fica ali agarrado até o final porque você tem que saber o que aconteceu. São várias linhas de investigação e em alguns momentos você mesmo se confunde, são possibilidades absurdas mas que são reais. 

A Shari é uma autora com uma escrita maravilhosa, eu gostaria de ressaltar, ela não enrola o leitor, ela não deixa pra você saber das coisas apenas no final do livro, o mistério não é levado até a última página, ele é renovado e vai ganhando embasamento necessário para a conclusão do livro.


"Porque, se tem algo que Rasbach aprendeu durante os anos na polícia é que as pessoas são capazes de qualquer coisa."

Mais do que um suspense, O Casal que Mora ao Lado é um livro que traz a tona alguns aspectos da sociedade que são disfarçados, que não são comentados, algumas doenças psicológicas pouco debatidas mas tão recorrentes. Eu senti que a Shari queria trazer um pouco do universo materno que não é abordado, a insegurança de uma mãe, a dura realidade de ter que ser um exemplo de mãe.

DEPRESSÃO PÓS PARTO
"um distúrbio do humor de grau moderado a severo, clinicamente semelhante ao Episódio Depressivo...com início dentro de seis semana depois do parto." (fonte)

Talvez você já tenha ouvido falar, mas acredito que assim como eu, você não vê as pessoas falando sobre isso, não vemos relatos de mães que passaram por isso. Acredito que a depressão pós parto é um tabu nessa sociedade onde as mães são sempre apontadas e culpadas por tudo.


Eu não sou mãe, mas eu observo que existe uma pressão sobre uma mulher a partir do momento que ela descobre a gravidez. As mães são obrigadas a estarem em estado pleno de felicidade, mas o que muitos de nós esquecemos é que elas passam por transformações drásticas no seu corpo e na sua vida.
Sem contar as alterações no corpo, uma mãe tem que parar de trabalhar e muitas vezes tomar conta sozinha do bebê depois do nascimento, porque essa nossa sociedade machista insiste em dizer que quem deve cuidar das crianças são as mães e muitos pais se abstém dessa responsabilidade.

Gente, imaginem isso? Por que é tão errado admitir que isso não é fácil? Por que culpabilizar essas mulheres? Por que romantizar um momento tão difícil?

De 10 a 15% das mulheres no pós parto podem sofrer dessa depressão e ainda existe um tabu, elas sentem medo e vergonha de admitir que não estão felizes, que precisam de ajuda. A Annie é uma dessas mulheres e durante o livro a gente consegue sentir o que ela passa, entender um pouco mais desse medo em admitir.

"Pensa em seu próprio grupo de mães, que se encontra uma vez por semana na casa umas das outras para tomar café e jogar conversa fora, no que comentarão sobre ela."

TRANSTORNO DISSOCIATIVO
"É um transtorno psicológico que faz com que o paciente deixe de perceber a realidade, confundindo-a com pensamentos, memórias e identidades de outras pessoas. Isto é, o paciente deixa de conseguir distinguir a realidade dos seus pensamentos, podendo apresentar várias mudanças de personalidade." (fonte)

No livro um dos personagens sofre desse distúrbio e podemos perceber como funciona, como muda a vida do ser humano e das pessoas ao seu redor. Não vejo muitas pessoas falando sobre esse transtorno, mas o exemplo mais famoso da literatura é o personagem Norman Bates do livro e filme Psicose. Aliás, você pode assistir a série Bates Motel, inspirada na obra e que chegou ao fim com sua quinta temporada este ano.





Livro cedido em parceria com a editora e ela está ciente que só falamos opiniões sinceras e não somos influenciados só porque recebemos o livro. 
Seja bom ou ruim, nosso compromisso é com você leitor, que merece saber a verdade sobre o que sentimos lendo.

16 comentários

  1. Menina! Eu quero esse livro e agora que você apontou temas abordados que vão além do suspense do livro, mais vontade tenho de ler.
    E depressão pós parto é um caso muito sério, eu acredito que todas mamães teem em algumas a proporção é mais grave. Na minha primeira gravidez fiquei tranquila(levei de boa as mudanças( mas da segunda cheguei a ter impressão que estava enlouquecendo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mulher, também percebi isso com algumas mães de segunda viagem, o peso d gravidez parece ser maior né? Acho que isso que falta ser falado, a realidade da maternidade.

      Excluir
  2. Nossa! sem sombra de dúvida preciso ler esse livro, cara quem deixa uma criança???
    Adoro suspense e imagino que essa seja um dos bons, consigo imaginar a agonia que deve dar, a vontade desvendar, não vejo a hora de descobrir o que aconteceu. Gosto de autores que guardam o desfecho apenas para o final, concordo que isso não é um caso de enrolação, criamos muita expectativas com narrativas assim.
    Para ser sincera já ouvi falar sobre depressão pós parto mas não sabia sobre o transtorno, e fiquei muito intrigada para saber mais.
    Parabéns sua resenha está escrita de uma forma que nós deixa ainda mais ansiosos pela leitura.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo elogio, o intuito é sempre trazer algo positivo pra quem ler as resenhas.

      Excluir
  3. Olá!
    Absurdo deixarem um bebê sozinho, mesmo que estivessem na casa ao lado. Tanto é que deu merda, como você mesma disse.
    Achei a premissa bastante interessante, adoro suspense e isso me chamou ainda mais a atenção por todos os temas que aborda.
    Espero ler em breve.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  4. Oi,
    Não gosto muito de suspense, mas estou muito curiosa com esse livro. Só li resenhas boas, e que me deixam com ainda mais vontade de ler.
    Parece abordar temas mais complexos e pesados, o tipo de livro que nos faz refletir sobre pequenas coisas.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, ele nos faz refletir sobre pequenas coisas que passam despercebidas por todos nós. Espero que goste!

      Excluir
  5. Preciso desse livro...Só de ler a resenha já fiquei imaginando mil hipóteses, e gostei muito sobre as explicações que você deu sobre os assuntos que focados. E realmente a mulher é muito cobrada nesse aspecto, e numa fase fica muito sensível. Parabéns pelo post e resenha. Adorei! Bjs

    www.livrosemretalhos.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada! É um momento que já é difícil pra mulher e muitas cobranças acabam piorando esse estado. Espero que curta a leitura, é um ótimo suspense.

      Excluir
  6. Adorei a sua resenha! Fiquei super curiosa para conhecer o livro, vou procurá-lo aqui em portugal!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hey! Que legal que você é portuguesa *-*

      Excluir
  7. Olá, gostei das suas críticas ao livro...eu fiquei curiosa para saber do desfecho, adoro esse tipo de suspense. Já quero ler.

    Abraços

    ResponderExcluir
  8. Olá, tudo bem?
    Nossa esse livro tem dado o que falar, eu estou bem curiosa para saber o desfecho da trama.
    Adorei saber das suas criticas.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  9. Oie
    nossa, eu sou apaixonada por esse tipo de livro então já quero para ontem estou bem curiosa depois das suas opiniões e espero ler o mais rápido possível

    beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Oi Yara, eu já havia visto esse livro por ai, mas ainda não havia lido nenhuma resenha sobre ele, achei essa premissa bastante interessante e fiquei muito curiosa em relação dessa leitura. Gosto muito de obras que abordam transtornos, pois sempre agregam conhecimento.
    Beijos.

    ResponderExcluir