Resenha: O Triturador - Niall Leonard



Pense na seguinte questão: Você é jovem, sofre de dislexia, e nunca aprendeu a ler direito, não terminou seu ensino médio, foi abandonado por sua mãe quando criança, seu pai é um ator falido que se acha um bom escritor e sua vida econômica não é das melhores.

Para piorar ao chegar de seu emprego que não é a melhor coisa que você poderia ter na vida, você encontra seu pai morto na poltrona que ele tanto amava, e tudo indica que foi um assassinato bem cruel. O que você faria?


" Um silêncio profundo, como se a casa estivesse vazia. Mas algo me dizia que não era o caso.''

É nesse contexto louco e cruel que somos inseridos ao iniciar a leitura de O Triturador, lançamento do selo Bertrand Brasil do Grupo Editorial Record. Partindo dessa premissa afirmo que o livro é muito bom, mesmo com algumas coisas meio bobas e sem sentido em certos momentos, a leitura vale muito a pena.

Finn Maguire, é um adolescente e um personagem complicado de ser amado, mesmo em um contexto que facilita essa empatia (encontrar o pai morto sentado na sala é um contexto que facilita em excesso a empatia né?), foi difícil me conectar a ele, e a parte estranha disso é que mesmo assim eu adorei a leitura e não consegui largar o livro.

Finn é simples, tem sua rotina, mas não cria expectativas de um futuro muito bom, quer apenas sobreviver e seguir sua vida da forma que der, mas demonstra uma determinação enorme ao decidir que vai se vingar de quem assassinou o seu pai. Zoe é uma personagem que tirando ‘’a grande bosta’’ que ela faz, unida a relação platônica e rápida que ela tem com o Finn não entendi o intuito da criação da personagem, mas aceitei e segui em frente haha.

" Disputavam o privilégio de me assegurar o quanto meu pai era gente boa, como se eu não o conhecesse.''

Da forma que falei parece que não faz sentido né? Mas entenda, mesmo com essas questões dos personagens o livro é bom porque além de ser um thriller bem feito e elaborado, também aborda assuntos interessantes e diferentes em contextos bem-criados.

Abandono Infantil

Quando foi abandonado pela mãe Finn teve uma infância complicada já que o pai acabou sucumbindo um pouco a essa perda e não conseguiu tomar conta do filho de modo a suprir essa falta e isso tornou ambos distantes um do outro.

Solidão na adolescência

Apesar da distância entre ambos, quando a ficha da morte de seu pai caiu, Finn se viu sozinho numa casa grande, sem rumo do que fazer na vida e sem saber como lidar com a vida adulta que chegou a ele tão de repente.

O Triturador é um thriller de boa qualidade, com personagens um pouco fora do que imaginei, mas um desfecho surpreendente e temáticas bem exploradas que merece ser lido e amado!

Livro cedido em parceria com a editora e ela está ciente que só falamos opiniões sinceras e não somos influenciados só porque recebemos o livro. 
Seja bom ou ruim, nosso compromisso é com você leitor, que merece saber a verdade sobre o que sentimos lendo.

Você vai gostar de ler também...

10 comentários

  1. Gostei do enredo do livro.
    Sou disléxica e foi bem complicado (ainda é) pra mim..
    Os assuntos abordados na vida de Finn são bem duros, abandono, adolescência solitária são temas complicados.

    Beijinhos, Helana ♥
    In The Sky, Blog / Facebook In The Sky

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    Eu nem consigo me imaginar no lugar dele, que vida difícil, realmente cruel. Tenho certeza que eu adoraria ler esse livro, mas em outro momento, por enquanto eu não conseguiria ler um livro com um tema assim tão pesado.
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Parece ser uma temática bem interessante de ser abordada em um livro. Acredito que, no momento, não seja a leitura que estou procurando. Mas vou deixar a dica anotada.
    Beijos
    Mari
    www.pequenosretalhos.com

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Adorei a premissa. A história parece boa, principalmente pelos temas abordados. Mas tive a impressão que algumas coisas não foram muito bem encaixadas na história. Apesar disso fiquei curiosa para conhecer a história de Finn.
    Gostei dos pontos que você ressaltou na resenha.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  5. Oi Pac, não tinha visto resenha do livro ainda, e fiquei interessada nele. Que bom que mesmo o personagem não desenvolvendo sua empatia, não atrapalhou que gostasse da leitura.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  6. Olá, então por tudo que o personagem passou o livro parece interessante, a temática bem interessante mas achei meio confuso, mas pelas suas impressões talvez eu dê uma chance, já que é um thriller, bela resenha, bjs

    ResponderExcluir
  7. Apesar de eu gostar muito de livros que enfoquem esses assuntos, esse não chamou minha atenção, não consegui me conectar com a história. Amei suas fotos! Bjs

    ResponderExcluir
  8. Adorei a resenha e o enredo.
    Parece ser um livro bem intenso e com um ritmo de leitura bem rápido.
    Adoraria conferir.
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Oie amore,

    Não conhecia o livro até o momento.
    Parece se tratar de um livro bem intenso... e foge um pouco dos Gêneros que eu curto.
    Só a questão da solidão na adolescência que me atraiu e que talvez eu ainda daria uma chance pra leitura.

    Beijokas!

    ResponderExcluir
  10. Olá, menina já comecei gostando desse livro pelo personagem principal. Com certeza ter um disléxico dá uma boa história, mas sendo um triler, aí melhor ainda. Fiquei super empolgada com essa história. Dica anotada. Bjs

    ResponderExcluir