Uma segunda opinião sobre Em Águas Sombrias


Intenso e misterioso, assim como em A garota no trem, Paula Hawkins consegue fazer com que o leitor não largue o livro até o seu final.

Eu sei, quem acompanha o blog já bem sabe que a Yara não curtiu o livro. Mas como sua colunista pontual, precisei vir aqui repassar minha opinião também. Sem spoilers, é claro.

Sem duvida nenhuma, o fato de ter mulheres em destaque em seus livros é algo que gosto bastante. Mas sem dúvida nenhuma, o fato da autora retratar as opressões que sofremos e a violência - em tantas camadas e formas - é o ponto mais alto.

Se você já leu A Garota no Trem sabe que a autora faz uso de uma mesma estrutura para contar a hstória peculiar de Backford, mais conhecido como um local para suicidios, ou, em melhores palavras um local para que se livrem de mulheres.

O livro é forte do começo ao fim, e instigante demais, mesmo sendo mórbida. Como comentei, já conhecemos um pouco da sua maneira de contar suas histórias, mas se você, leitor, se chocou com aluma passagem de A Garota no trem, se prepare para se chocar ainda mais. Os tabus que rodeiam as mulheres já seriam suficientes, mas sem dúvida nenhuma, eu não estava prepara para que temas delicados como suicido - não citarei outros para não dar spoiler - seriam retratados de maneira tão crua.

Mas verdade seja dita, se assim não fosse, se tornariam apenas apelativos. O incrível da autora é justamente chocar com simplicidade, nos lembrando que os elementos de suspense, os tabus que apresenta e a forma como desconstrói todos os elementos ao redor do feminino, é que tornam o seu trabalho excelente. Ah, vale dizer que esperar por um final florido talvez não seja o adequado...

Eu só me pergunto se o filme vai conseguir ser tão intenso quanto esse mistério merece.




0 comentários