Resenha: Quando eu Parti - Editora Record

Seu primeiro livro voltado para o público adulto não poderia ser menos que incrível. Sou louca pela escrita da autora Gayle Forman, e mesmo ela escrevendo muito mais para o público jovem, mais uma vez me emocionei com o arco de sua protagonista. Mais que isso, me identifiquei com ela em vários momentos pelos dilemas e pressões que ela sente por ser mulher, mãe, esposa, profissional... 

Mas Maribeth só começa a questionar de fato, quando o pior lhe acontece. De urgência, ela precisa fazer uma cirurgia cardíaca e vê o seu mundo desabar. Não só pela cirurgia de emergência, mas por compreender que a vida que ela levava, não lhe faz bem ou real sentido. E ela tem um passado que a incomoda, mas prefere deixar quieto. 

Acostumada a sua rotina. Maribeth tenta retomar sua vida, mas compreende que aquele ritmo já não serve mais. O marido é ausente, os filhos não param quietos, convive com uma ex amiga... Mesmo que ela saiba muito bem que ama o marido e os filhos, ela toma coragem e foge. 

Muita gente talvez não entenda e veja a personagem como mesquinha, mas essa não é a verdade. Muito pelo contrário. Ela é corajosa por compreender que precisa de um tempo para si. Que precisa de um momento só seu. Que precisa se encontrar, resolver os assuntos em abertos que existem em sua vida, buscar por equilíbrio para, quem sabe, voltar para casa. 

A Gayle Forman mais uma vez acerta. E nos deixa com um gostinho de querer mais livros voltados para o público adulto o quanto antes... 





0 comentários